Mundo Vuca e mundo Bani

O presidente do Sistema Cofeci-Creci, João Teodoro, neste artigo explica o que estes acrônimos têm a ver com o momento atual, de guerra e pandemia, e suas consequências (sobretudo na tomada de decisões)!




[05/2022] A quem os desconhece, os conceitos expressados no título deste artigo podem soar como loucura, porém as palavras vuca e bani representam conjuntos de palavras, em inglês. Podem ser sigla ou acrônimo, conceitos que frequentemente se confundem. Sigla é um conjunto formado pelas primeiras letras de um grupo de palavras que designam alguma coisa. Ex.: INSS – Instituto Nacional de Seguridade Social; PSD – Partido Social Democrata. Cada letra é pronunciada de acordo com sua designação, não como uma palavra: I, ene, esse, esse; Pê, esse, dê.


Uma sigla pode ser um acrônimo. Ex.: INCRA – Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. É sigla, porque composta pela primeira letra de cada palavra do que sintetiza. É também acrônimo, porque pode ser lida como se fosse uma palavra: Incra. Acrônimo, entretanto, nem sempre é uma sigla. Acrônimo é um conjunto formado pela primeira, ou primeiras letras, de um grupo de palavras que designam alguma coisa, e que pode ser lida como se fosse uma palavra. Ex.: CoFeCI – Conselho Federal de Corretores de Imóveis.


Da mesma forma, CReCI – Conselho Regional de Corretores de Imóveis não é sigla, mas acrônimo. Observe-se que, em ambos os casos, a segunda palavra (Federal e Regional) está representada pelas duas primeiras e não apenas pela primeira letra (Fe e Re). Ok, mas e daí? O que isso tem a ver com VUCA e BANI? Vamos lá! VUCA é sigla/acrônimo de Volitility, Uncertainty, Complexity e Ambiguity (volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade), e BANI, de Brittle, Anxious, Nonlinear e Incomprehensible (fragilidade, ansiedade, não linear e incompreensível).


Vuca representa o período pós-guerra fria, até antes da pandemia. Tentava explicar o que acontecia no mundo e seus impactos na vida das pessoas. Volatilidade quer dizer mudanças constantes, novas tecnologias a cada instante, excesso de informações; incerteza é a dificuldade de prever ou antecipar o futuro; complexidade é a logística ou trâmite por trás de qualquer processo; ambiguidade é a incerteza na tomada de decisões, não saber o que é certo e o que é errado. Isso é o tal mundo vuca que, por força da pandemia, acabou substituído pelo mundo bani.


Bani é a explicação para o mundo atual, pós-pandemia. Fragilidade é o que vivemos, propensos a incidentes, acidentes, desastres, novos vírus; ansiedade é gerada pela fragilidade e pela incerteza do amanhã; não-linearidade é a ocorrência de muitas coisas ao mesmo tempo, o que dificulta o planejamento de longo prazo; incompreensibilidade é a consequência da sobrecarga de informações e o rápido e imparável avanço tecnológico. No mundo empresarial, o vuca e o bani trouxeram consequências danosas e de difícil convivência.


O conceito vuca foi criado pelos militares para explicar as dificuldades enfrentadas no mundo pós-guerra fria. O bani foi cunhado pelo antropólogo norte-americano Jamais Cascio após sua conscientização de que o vuca já não explicava o mundo depois da pandemia. Cultura inútil? Nem tanto! Entender sobre os dois conceitos ajuda a discernir bem na hora da tomada de decisões. As mudanças decorrentes do avanço tecnológico, aliadas às loucuras humanas, como a guerra entre Rússia e Ucrânia, dão bem a dimensão das nossas dificuldades.



Sobre João Teodoro: Nascido na cidade de Sertanópolis, no Estado do Paraná, João Teodoro da Silva iniciou a carreira de corretor de imóveis em 1972. Ele é empresário no mercado da construção civil em Curitiba (PR). Graduado em Direito e Ciências Matemáticas, foi professor de Matemática, Física e Desenho na PUC/PR. É técnico em Edificações e em Processamento de Dados e possui diversos cursos de extensão universitária pela Fundação Getúlio Vargas. Foi presidente do Creci-PR por três mandatos consecutivos, presidente do Sindicato dos Corretores de Imóveis do Paraná de 1984 a 1986 e diretor da Federação do Comércio do Paraná. No Cofeci, atua desde 1991, quando passou a exercer o cargo de conselheiro federal, e é presidente desde 2000.