• Silvia Celani

Sistema Cofeci Creci incentiva a inclusão digital do corretor com mais de 55 anos

Uso da tecnologia para realizar negócios no mercado imobiliário tornou-se vital durante a pandemia!



As empresas do setor imobiliário e os corretores de imóveis precisaram se adaptar aos diferentes desafios impostos pelo isolamento social devido ao Covid-19. Aa tecnologia tornou-se essencial para realizar negócios. Mesmo para aqueles que já nasceram e cresceram na era digital, o coronavírus trouxe aprendizados e oportunidades de melhoria. Mas a utilização da internet - dos programas e aplicativos - ainda é um tabu para o público acima dos 55 anos.

Segundo o IBGE, mais de 10,25 milhões de brasileiros têm de 55 a 59 anos e 32,86 milhões mais de 60 (16,2% da população do país). Entre os usuários do Facebook, 6% têm entre 55 e 64 anos e 4%, acima de 65 anos. No Instagram apenas 3% têm entre 55 e 64 anos e 2% mais de 65 anos.

“Nesta faixa, poucos estão preparados para mudanças, sobretudo quando a vida já está organizada e, aparentemente, estabilizada”, afirma Celso Pereira Raimundo, diretor de Tecnologia do Sistema Cofeci Creci. Reconhecer que é preciso abrir um espaço na agenda para estudar nem sempre é um passo fácil a ser dado. Para atender a necessidade deste público, o Sistema Cofeci Creci estará incentivando a inclusão digital dos Corretores de Imóveis com mais de 55 anos. Há no Brasil mais de 400 mil profissionais credenciados nos Crecis, sendo que 13,48% têm entre 55 e 60 anos e 24,67% têm mais de 65 anos.

Os Corretores de Imóveis passaram a adotar com mais intensidade os recursos digitais para vender e alugar imóveis, como a utilização de fotos profissionais nos anúncios em sites e portais (56%), o uso de vídeo conferência (51%) e as visitas aos imóveis por vídeo (47%). A tecnologia permite que, através da captura de imagens em 360° de imóveis e de projetos, os clientes possam observar todos os detalhes de um espaço, substituindo visitas presenciais. A prática caiu no gosto de 38% dos compradores e locatários (33%). O contrato digital também ganhou relevância, em especial para os compradores — 20% contra 8% de quem quer alugar.

Em pelo menos nove estados já é possível realizar a compra e venda de imóveis de forma 100% online: São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais, Mato Grosso, Bahia, Tocantins e Rio Grande do Norte.

Em 1992, a internet já ultrapassava a marca de 1 milhão de computadores conectados. No final da década de 90, o Brasil ocupava o 19º lugar em número de hosts no mundo e o 3º na América - ficando atrás somente dos Estados Unidos e Canadá. A tecnologia não parou mais de evoluir e chegamos ao ponto de nos tornarmos praticamente dependentes dela. Conforme a geração, as habilidades são mais ou menos desenvolvidas.

Para não ficar de fora deste novo contexto, surgiu a necessidade de atender a demanda das pessoas que querem e precisam aprender a lidar melhor com os smartphones, redes sociais, aplicativos e sites. Estudos científicos mostram que as crianças têm maior facilidade de aprendizagem. Nem por isso as pessoas mais velhas têm que abrir mão de algo novo.

Entre os 60 e 70 anos os adultos estão na fase em que compreendem melhor os cenários - vide a matéria neste link. Em contrapartida, têm mais dificuldade para assimilar novos conteúdos. Neste caso, o que fazer? Conexões! Mostrar a tecnologia sob os olhos do analógico, relacionar o algoritmo com um detetive, que segue cada passo do cliente e conhece o que é dado por ele.

Desta forma é possível aprender algo novo em todas as etapas da vida.


colibri.png

Conselho Federal de Corretores de Imóveis

Centro Comercial Boulevard - SDS - Brasília

Segunda-Sexta 09:00 às 18:00h
Tel: (61) 3321-2828